Um novo tipo de terapia contra o câncer que "desativa o freio" do sistema imunológico humano e é considerada uma nova esperança para a cura da doença acaba de ser premiada com o Nobel de Medicina. Esse é o objeto de pesquisa dos imunologistas James P. Allison, dos Estados Unidos, e Tasuku Honjo, do Japão, que foram anunciados nesta segunda-feira como os vencedores do Nobel.

A Assembleia Nobel do Instituto Karolinska de Estocolmo, na Suécia, disse que as terapias pela inibição da regulação imune negativa são "um marco" na luta contra o câncer.

As descobertas "transcendentais" feitas por ambos os cientistas "estabeleceram um princípio completamente novo" no campo da oncologia e permitem "aproveitar a habilidade do sistema imunológico para atacar as células cancerígenas", disse a academia em um comunicado.

A imunoterapia, que mira mais especificamente nas células cancerígenas, é considerada uma nova fronteira nos tratamentos contra o câncer. No entanto, ela funciona em aproximadamente 15 a 20% dos pacientes. Os cientistas ainda não sabem exatamente quem vai se beneficiar e o porquê.

Desativando o 'freio' do sistema imunológico

Tanto Allison quanto Honjo estudaram proteínas que impedem que as principais células de defesa do corpo, as células T, ataquem as células cancerígenas.

Quando o sistema imunológico detecta a presença de ameaças no organismo, como vírus e bactérias, estas células se agarram às substâncias exógenas, o que estimula uma resposta imunológica de larga escala.

Diversas proteínas mensageiras também estão envolvidas nesse processo. Algumas potencializam a resposta do sistema imunológico e outras servem como freios, prevenindo uma resposta exagerada.

No caso do câncer, o sistema de defesa do corpo nem sempre consegue identificar os tumores e atacá-los. É neste ponto que os trabalhos dos dois pesquisadores provaram ser revolucionários.

Allison, que tem 70 anos e é professor na Universidade do Texas, estudou no início dos anos 1990 a proteína CTLA-4, que funciona como uma espécie de freio do linfócito T.

Honjo, de 76 anos e professor na Universidade de Kyoto, descobriu em 1992 outra proteína na superfície dos linfócitos T: a PD-1, que também freia as células imunológicas, mas com outro mecanismo.

Desde então, ambos passaram a desenvolver medicamentos que possam inibir a atividade dessas proteínas, estimulando o sistema imunológico a atacar tumores.

As terapias baseadas em suas pesquisas foram "impressionantemente eficientes" e tiveram sucesso no tratamento de pacientes com diferentes tipos de câncer, segundo a Assembleia do Nobel.

Desde então, a CTLA-4 foi usada no tratamento do melanoma (câncer de pele) avançado, enquanto a PD-1 tem sido utilizada contra tumores de pulmão, renais, linfoma e melanoma. Novos estudos indicam que se ambas as terapias forem combinadas, o tratamento pode ser, inclusive, mais eficiente.

As terapias também produzem efeitos colaterais, como reações autoimunes do corpo. Os pesquisadores agora buscam 

maneiras de reduzir estes efeitos.

Fonte: BBC Brasil


Divulgação do cartão de confirmação do Enem 2018 será nesta

Inep confirmou que candidatos poderão ver o local de provas a partir desta segunda-feira (22); provas acontecem nos dias 4 e 11 de novembro e 5,5

Saiba como morreu último rinoceronte macho, branco do norte

Apenas duas fêmeas permanecem na reserva natural Ol Peteja O último rinoceronte branco do norte macho morreu no Quênia aos 45 anos. Sudan, como

Atenção: Três tipos de aplicativos que você deve evitar baixar no

Às vezes, a promessa de solução para problemas frequentes pode esconder vírus ou sobrecarregar ainda mais os celulares Há aplicativo de todo

Horário de verão começa no 1º dia do Enem 2018

Na noite de segunda-feira (15), governo federal afirmou que voltou atrás da decisão de adiar o início do horário de verão para não coincidir

Quer ser professor? Apenas 3,3% dos estudantes responderam que sim

“Meu sonho mesmo é dar aula para o ensino médio, pode ser em escola estadual,  municipal ou particular”, diz Lucas dos Anjos Castro, 16

Oportunidades: Concursos oferecem 25 mil vagas pelo Brasil

Oportunidades na carreira pública, com salários de até R$ 27,4 mil, são abertas em órgãos federais, como a Advocacia-geral da União,

Ensino obrigatório de música nas escolas públicas faz dez anos mas

Um dos entraves é a formação. Segundo Censo, país tem 128 cursos específicos para formação de professores em música com 8.384 vagas. Em 2016,

O que dizia o decreto imperial que inspirou o Dia do Professor?

No Brasil, 15 de outubro é Dia do Professor. A data relembra um decreto imperial de 1827, documento que criou o ensino público no país. "O 15

Morador de rua vende livros para sobreviver

José Marcos de Souza, de 55 anos, costuma levantar cedo, ainda de madrugada. Ele desfaz a cama, guarda seu colchonete em um carrinho de supermercado

Inventor de submarinos quer criar cidade no fundo do mar

Morar sob as águas não é um sonho novo. Desde os anos 1960, há relatos de projetos tentando criar colônias submarinas nos oceanos do planeta,

UAI Brasil
O teixeirão 2018
previcon
Connect Informática
Nossos Apoiadores: