As criptomoedas, que hoje estão na carteira de muitos investidores, não poderão constar no portfólio dos fundos de investimento, conforme entendimento da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A autarquia esclareceu nesta sexta-feira, 12, ao mercado consultas feitas sobre a possibilidade dos fundos regulados pela instrução 555 – que regula fundos abertos – poderem ou não ter esse ativo.

“No Brasil e em outras jurisdições tem se debatido a natureza jurídica e econômica dessas modalidades de investimento e não se chegou a nenhuma conclusão, em especial no mercado e regulação domésticos”, destaca em ofício o superintendente da Superintendência de Relações com Investidores Institucionais (SIN) da CVM, Daniel Maeda.

O documento diz ainda que há muita indefinição e que a interpretação da área técnica foi de que as criptomoedas, assim, não podem ser classificadas como ativos financeiros e, dessa forma, sua aquisição não pode ser permitida pelos fundos de investimento regulados.

A Superintendência diz que tem chegado à CVM consultas sobre a possibilidade de criação de fundos específicos para investimento em criptomoedas, mas que as discussões hoje existentes sobre esses investimentos, “seja diretamente pelos fundos ou de outras formas”, são incipientes, sendo que há um projeto de lei (2.303/2015) “que pode vir a impedir, restringir ou mesmo criminalizar a negociação de tais modalidades de investimento”.

A CVM frisa que há muitos riscos associados a sua natureza, como ordem de segurança cibernética e particulares de custódia, ou até mesmo relacionados à legalidade futura de sua aquisição ou negociação.

“Dessa forma, esta Superintendência informa que todas essas variáveis vêm sendo levadas em consideração na avaliação da possibilidade de constituição e estruturação do investimento indireto em criptomoedas, sem que se tenha chegado, ainda, a uma conclusão a respeito dessa possibilidade”, destaca a autarquia.

Por fim, a CVM pede aos gestores que aguardem manifestação posterior e conclusiva sobre esse tema para que possa ser estruturado investimento indireto em criptomoedas ou outras formas alternativas dessa natureza de exposição a risco.

Fonte: Estadão

Geddel vai para área de segurança máxima da Papuda

A Vara de Execuções Penais (VEP) do Distrito Federal decidiu nesta quinta-feira (19) transferir o ex-ministro Geddel Vieira Lima e o ex-senador

Bolsonaro lidera intenções de voto no DF, mesmo com Lula

Candidato do PSL à presidência da República, o deputado federal Jair Bolsonaro lidera as intenções de voto em todos os cenários no Distrito

Área de duplicação na BA 290 está sendo preparada: Obra será

Teixeira de Freitas: A Prefeitura Municipal, através das Secretarias Municipais de Infraestrutura e Meio Ambiente, realiza ações para preparar a

Bolsonaro e Lula empatam em intenções de voto em SP, diz pesquisa

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) aparecem empatados na liderança das intenções de voto

Apuração da eleição poderá ter problemas, alerta presidente

O presidente do TRE-BA, desembargador José Edivaldo Rocha Rotondano, destacou em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (16) que a Justiça

Queda no repasse: Crise fecha Prefeitura de Belmonte por 5 dias

A queda no repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) em 37% obrigou a Prefeitura de Belmonte a suspender o expediente e fechar as

A NICA DA LIBERDADE 175

Ramiro Guedes COPA DO MUNDO Deu França, batendo a Croácia, que fez um belo papel na competição. A França mereceu o título e ganhou em um

Congresso quer aumentar para R$ 38 mil salário de parlamentares

Cresce no Congresso Nacional uma articulação para elevar os salários dos deputados e dos senadores para a próxima legislatura. De acordo com a

Economia brasileira recua 3,34% em maio, aponta Banco Central

Após expansão em abril, a economia brasileira – ou o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), espécie de prévia do Produto

Coelba e Caixa retomam contrato: pagamentos em lotéricas voltam

Após imbróglio que envolveu até inquérito do Ministério Público da Bahia (MP-BA), a Coelba e a Caixa Econômica Federal formalizaram nesta

Nossos Apoiadores: