DJ dia das mães

Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou nesta quinta-feira (8) que a decisão final sobre a realização de novas eleições – em caso de anulação de diploma, cassação de mandato ou mesmo rejeição de um registro de candidatura – seja do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A atual legislação, de 2015, permite que um novo pleito e a escolha de um sucessor ocorram somente após o “trânsito em julgado” das ações que levam à perda do mandato. Com isso, o político cassado só deixa o cargo após esgotamento de todas as possibilidades de recurso na Justiça.

Na prática, mesmo cassado pela maior instância da Justiça Eleitoral – o TSE –, o político pode permanecer no poder até uma decisão final no STF, mais alta instância do Poder Judiciário, tempo durante o qual pode acabar cumprindo boa parte ou todo o período do mandato.

O pedido para derrubar a necessidade do “trânsito em julgado” para a cassação e realização de novas eleições após decisão do TSE foi feito pela Procuradoria Geral da República (PGR) em 2016.

O pedido foi aceito por unanimidade pelos 11 ministros do STF no julgamento, iniciado nesta quarta.

“Os efeitos práticos da exigência do trânsito em julgado contrariam o princípio democrático e o princípio da soberania popular, porque permitem que alguém que não foi eleito exerça o cargo majoritário por largo período”, disse no julgamento o ministro Luís Roberto Barroso, relator da ação.

Eleição para presidente pelo Congresso

No mesmo julgamento, os ministros também decidiram derrubar uma regra de 2015 que alterava a forma de eleição para um presidente da República cassado. A minirreforma eleitoral daquele ano dizia que o Congresso só escolheria o sucessor nos últimos seis meses do mandato.

O STF determinou que a eleição indireta pelo Congresso ocorra a partir da segunda metade do mandato, como determina a Constituição. Na primeira metade do mandato, a cassação do mandato do presidente leva à realização de eleição direta, na qual a escolha fica com o eleitorado.

No caso de prefeitos e governadores, no entanto, permanece a regra da minirreforma de 2015. Câmaras municipais e assembleias legislativas só escolherão o sucessor se a cassação ocorrer nos últimos seis meses do mandato.

Fonte: G1

 

Prefeito Temóteo Brito participa de I Simpósio de Águas em

Teixeira de Freitas: Com a presença de autoridades locais e de municípios vizinhos da Bahia e Minas Gerais, foi aberto o I Simpósio de Águas,

Vereador Isael Júnior “Bua” concede título de Cidadão

Lajedão: A Câmara Municipal de Vereadores de Lajedão realizou uma Sessão Ordinária na noite da ultima segunda-feira (18/06) às 19h00.

Projeto do Vereador Rodrigo Caires que dispõe sobre os Serviços de

Lajedão: A Câmara Municipal de Vereadores de Lajedão realizou sessão ordinária na noite da ultima segunda-feira (18/06), às 19h00, estiveram

Alunos correm risco em ponte que ameaça cair em Guaratinga

Guaratinga: Agricultores do município de Guaratinga afirmam que estão com dificuldades para fazer o escoamento da produção por conta da

A NICA DA LIBERDADE 171

Ramiro Guedes FASCISMO “Você não precisa queimar livros para destruir uma cultura. Basta fazer as pessoas pararem de lê-los”. Em Teixeira

Temóteo Brito entrega nova iluminação da Avenida Pentecostal

Com a presença da equipe de Secretários Municipais, Vereadores e Moradores do bairro Nova Jerusalém, o Prefeito Temóteo Alves de Brito fez a

Treze partidos devem R$ 32 milhões de eleições passada

Com menos recursos para uma nova campanha eleitoral, 13 dos 35 partidos políticos ainda têm de desembolsar recursos para pagar dívidas de

Preço da gasolina reduz 3 centavos após subsídios do governo

Os planos do governo para reduzir o preço do diesel nos postos, após a greve dos caminhoneiros, parece não fazer efeito sobre o preço de outro

Japonês da Federal diz que ‘Lula foi preso por uma besteira'

Em entrevista para divulgar o lançamento de sua biografia, Newton Ishii, o famoso “japonês da Polícia Federal (PF)”, declarou que o

Bolsonaro se compara a Trump ao negar aliança com partidos

O pré-candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) voltou a afirmar que não irá partir em busca de partidos para aumentar seu

Nossos Apoiadores: