A Lei Eleitoral restringe a partir deste sábado (7) a transferência voluntária de recursos da União para os governos estaduais e municipais devido às eleições de outubro. A conduta que entra em vigor nos próiximos três meses visa evitar que atos do poder público afetem a igualdade de oportunidades entre os candidatos a cargos eletivos. Por conta da determinação, a partir deste fim de semana, o governador e pré-candidato a reeleição Rui Costa (PT) não poderá mais participar de eventos de inauguração até o resultado das urnas.

O petista participou de um dos seus últimos atos do poder público antes da proibição nesta sexta-feira (6), durante a reinauguração do centro especializado no tratamento de doenças infectocontagiosas Instituto Couto Maia (Icom), em Cajazeiras. De acordo com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento, a unidade inaugurada ainda não tem autorização municipal para funcionar.

Uma das ações vedadas mais recorrentes na Justiça Eleitoral durante o período é a propaganda institucional. Neste período é proibida a veiculação da propaganda institucional de órgãos públicos. Ou seja, a publicidade dos atos do governo terá caráter exclusivamente educativo, informativo ou de orientação social, sem nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção de autoridades. Pode ser veiculada também publicidade de produtos e serviços que disputam mercado. Por exemplo, do Banco do Brasil.

O descumprimento das proibições da Lei Eleitoral podem levar desde a anulação do ato, passando por multa para o agente público responsável pela iniciativa até a cassação do registro ou do diploma do candidato beneficiado.

Segundo o assessor da Presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Sérgio Ricardo dos Santos, a Agência Brasil , a legislação proíbe atos que possam influenciar o pleito, desequilibrando a disputa eleitoral. "Essa previsão visa trazer equilíbrio à eleição, ainda mais no cenário em vivemos em que é possível a reeleição. Quem tem a caneta na mão, no caso o governante, poderia eventualmente explorar aquele ato de uma forma não ortodoxa, incluindo aspectos que possam favorecer possíveis candidatos", argumentou.

Fonte: Bahianoticias


MPE acusa frase de campanha ‘Haddad é Lula’ de confundir eleitor

O Ministério Público Estadual (MPE) acusou a coligação “O povo feliz de novo” (PT/PC do B/Pros) de confundir os eleitores ao propagar a

Haddad recebe maior parte dos eleitores de Alckmin em eventual 2º

Petista também herda a maioria dos votos de Marina e Ciro. Já os de Amôedo e Alvaro Dias vão prioritariamente para o candidato do PSL. A maior

Na TV, Alckmin dirá que Bolsonaro não entende de economia e que

O candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, levará à TV na noite desta quinta-feira (20) uma nova propaganda atacando a campanha de Jair

Revista 'The Economist' chama Bolsonaro de 'ameaça para a América

Matéria de capa da publicação diz que o presidenciável do PSL seria 'presidente desastroso'. Capa da The Economist sobre Jair Bolsonaro The

Deputados do 'Centrão' já abandonam Alckmin e começam a fazer

Os candidatos à Presidência Geraldo Alckmin (PSDB) e Jair Bolsonaro (PSL) Adriana Spaca/Framephoto/Estadão Conteúdo / Myke

Bolsonaro enquadra Paulo Guedes e gera apreensão no mercado

Do hospital, Jair Bolsonaro (PSL) enquadrou seu conselheiro econômico, Paulo Guedes, gerando apreensão no mercado. A leitura de operadores é que

Em campanha em Guarulhos, Alckmin diz que é contra aumentar a carga

Intenção de recriar o imposto foi ventilada pelo núcleo econômico da campanha de Jair Bolsonaro. Nesta quarta (19), em publicação em rede

Marina Silva diz que PT, MDB e PSDB já 'tiveram chance' e levaram o

Candidata da Rede à Presidência da República fez campanha na manhã desta quinta-feira (20) em Taubaté, no interior de São Paulo. Marina Silva

Alvaro Dias diz que voto útil é 'assinar atestado de burrice'

O candidato do Podemos foi entrevistado pelo G1 e pela CBN nesta quinta-feira (20). Ele também falou sobre trocas de partido e coligação com PSC,

TSE nega pedido de Boulos para tirar da internet vídeo de humor que

Defesa do PSOL disse que canal imputava crime ao candidato; maioria dos ministros disse que peça está protegida por liberdade de expressão. O

Nossos Apoiadores: