O candidato Geraldo Alckmin (PSDB) participou de uma sabatina dos jornais "O Globo", "Valor Econômico" e da revista "Época"

Reprodução/Facebook

O candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, disse nesta quinta-feira (13) que seu partido não tem "nada a ver" com o governo Michel Temer. Ele ainda classificou a gestão de Temer à frente do país de "muito ruim".

Alckmin participou, no Rio de Janeiro, de uma sabatina organizada pelos jornais "O Globo", "Valor Econômico" e pela revista "Época".

O PSDB foi um dos partidos que, em 2016, apoiaram o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). A sigla também fez parte da equipe ministerial de Temer. No final de 2017, o partido oficializou a saída do governo.

Atualmente, um ministro é do PSDB, Aloysio Nunes, das Relações Exteriores, que preferiu se manter no cargo mesmo após o rompiemnto do partido com o Palácio do Planalto.

"[Aloysio Nunes] Está lá em caráter pessoal. O PSDB não tem nada a ver com esse governo", afirmou Alckmin na sabatina.

Ele disse ainda que sempre foi contra a participação do partido na gestão Temer.

"No PSDB, eu fui contra entrar no governo. Totalmente contra. O que eu defendia na época: devemos aprovar as medidas de interesse do país. Não precisamos ter ministério para isso", completou o candidato.

Em outros momentos da campanha eleitoral Alckmin já fez críticas ao governo Temer. O empenho do candidato em descolar a imagem de seu partido da atual gestão do Palácio do Planalto gerou reação por parte de Temer. O presidente gravou vídeos para ressaltar que o PSDB fez parte do governo.

Operação contra políticos do PSDB

Alckmin foi questioando sobre operações policiais nesta semana que tiveram como alvos políticos do PSDB.

No primeiro caso, na terça-feira (11), uma operação do Ministério Público do Paraná prendeu o ex-governador e candidato ao Senado Beto Richa. No mesmo dia, ele foi alvo de buscas da Lava Jato. Na quarta (12), uma operação da Polícia Federal fez buscas e apreensões na casa do governador Reinaldo Azambuja, do Mato Grosso do Sul.

"O que todos queremos e a sociedade quer é que se investigue, se apure, se puna os cuplados e se absolva os inocentes. Isso vale para todo mundo. Cabe a eles se explicar. Vida pública é pública. As instituições devem funcionar", afirmou Alckmin.

O candidato disse ainda que todos os partidos têm problemas e que, se não for feita uma reforma política, continuará havendo casos de corrupção.

"Todos os partidos estão fragilizados, inclusive o meu. Quando você tem 35 partidos, se não fizer reforma política, vai ter Lava Jato no futuro. O sistema está exaurido", completou.


Cerca de 75% dos municípios baianos demitirão servidores

Motivo é ter excedido o limite de 54% imposto pela Lei de Responsabilidade Fiscal Com dificuldade para pagar os salários e manter os serviços

Moro é exonerado do cargo de juiz para ser ministro do governo

O presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), desembargador federal Thompson Flores, assinou, na tarde desta sexta-feira (16),

A NICA DA LIBERDADEE 191

Ramiro Guedes A  PALAVRA EM A “LESTE DO ÉDEN” Ler A leste do Éden, de Steinbeck, é sempre um exercício de mergulho nas mais fundas e

Com depoimento, Lula passa a ter duas ações em fases avançadas

O depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quarta-feira (14) marca o encerramento de uma das últimas fases da ação penal do

Vídeo: Prefeito Temóteo assina Ordem de Serviço para asfaltamento

Teixeira de Freitas: O evento aconteceu na noite da última terça-feira 13 de novembro, na Faculdade do Sul da Bahia–FASB. A mesa foi formada

Por que Vargas criou o Ministério, que Bolsonaro quer extinguir

Vargas criou o ministério para intermediar relações entre trabalhadores e empresários, função até então do Ministério da Agricultura Caso

Vídeo: Câmara Municipal de Lajedão aprova por unanimidade Moção

Lajedão: Na sessão ordinária da última segunda-feira, 12 de novembro, o vereador Rodrigo Silva Caires apresentou uma Moção de Aplausos ao

Bahia viola LRF e ultrapassa limite de gastos com pessoal em 2017

A Bahia superou em 2017 o limite previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) de 60% da receita corrente líquida em gastos com pessoal,

Bolsonaro anuncia general do Exército Ministro da Defesa

O sétimo ministro confirmado por Bolsonaro é o general Fernando Azevedo e Silva "Bom Dia! Comunico a todos a indicação do General-de-Exército

Vice-governador de MG Antonio Andrade e outros 15 já estão soltos

Antonio Andrade foi liberado juntamente com outros 17 implicados na Operação Capitu, da Polícia Federal, que investiga organização criminosa,

UAI Brasil
O teixeirão 2018
previcon
Connect Informática
Nossos Apoiadores: