O presidente Michel Temer assinou nesta sexta-feira (11) decreto que estabelece as regras para que mulheres presas tenham direito ao indulto especial, concedido em razão do Dia das Mães. De acordo com a assessoria do Palácio do Planalto, o decreto será publicado em edição extraordinária do "Diário Oficial da União" nesta sexta, último dia útil antes do Dia das Mães, comemorado no próximo domingo (13).

Previsto na Constituição como uma atribuição do presidente da República, esse benefício não trata das saídas temporárias, nas quais presas precisam retornar à prisão.

Conforme o texto do decreto, divulgado pelo Planalto, o indulto especial, que trata de um tipo de perdão da pena, será concedido a presas, brasileiras ou estrangeiras, que até o próximo domingo (13) não tenham sido punidas com "prática de falta grave nos últimos 12 meses" e que se enquadrem nos seguintes requisitos:

Mães condenadas à pena privativa de liberdade por crime cometido sem violência ou grave ameaça, que possuam filhos de até 12 anos de idade, ou de qualquer idade se pessoa com deficiência, que necessite de seus cuidados, desde que cumprido um sexto da pena;

Avós condenadas à pena privativa de liberdade por crime cometido sem violência ou grave ameaça, que possuam netos de até 12 anos de idade ou de qualquer idade se pessoa com deficiência, que necessite de seus cuidados e esteja sob a sua responsabilidade, desde que cumprido um sexto da pena;

Condenadas à pena privativa de liberdade por crime cometido sem violência ou grave ameaça, que tenham completado 60 anos de idade ou que não tenham 21 anos completos, desde que cumprido um sexto da pena;

Condenadas por crime cometido sem violência ou grave ameaça, que sejam consideradas pessoa com deficiência e as diagnosticadas com doenças crônicas graves ou com doenças terminais;

Gestantes condenadas à pena privativa de liberdade;

Ex-gestantes, que tiveram aborto natural dentro da unidade prisional, condenadas à pena privativa de liberdade, desde que comprovada a condição por laudo médico emitido por profissional designado pelo juízo competente;

Condenadas à pena privativa de liberdade não superior a oito anos pela prática do crime previsto no art. 33 da Lei nº 11.343, de 23 de agosto de 2006, cuja sentença tenha reconhecido a primariedade da agente, os seus bons antecedentes, a não dedicação às atividades criminosas e a não integração de organização criminosa e tenha sido aplicado o redutor previsto no § 4º do referido artigo, desde que cumprido um sexto da pena;

Condenadas à pena privativa de liberdade não superior a oito anos por crime cometido sem violência ou grave ameaça, desde que cumprido um quarto da pena, se não forem reincidentes;

Condenadas à pena privativa de liberdade não superior a oito anos por crime cometido sem violência ou grave ameaça, desde que cumprido um terço da pena, se forem reincidentes;

Indígenas condenadas por crime cometido sem violência ou grave ameaça, que possuam Registro Administrativo de Nascimento de Indígena, desde que cumprido um quinto da pena, se não forem reincidentes.

O decreto também trata da "comutação" de penas privativas de liberdade, ou seja, das condições para que as presas tenham direito a uma redução da punição. As penas podem ser reduzidas em um quarto, dois terços e pela metade, conforme as regras da medida.

No texto do decreto, Temer aponta que tomou a decisão "considerando a necessidade de implementar melhorias no sistema penitenciário brasileiro e promover melhores condições de vida e a reinserção social às mulheres presas".

Em 2017, o presidente também assinou um decreto semelhante. No texto do ano passado, no caso de gestantes, o indulto ficou restrito apenas a mulheres com gravidez de risco. Já em 2018, Temer decidiu ampliar a medida para todas as gestantes, incluindo, ainda, ex-gestantes que tiveram aborto natural dentro da unidade prisional.

Outra novidade é que as regras do decreto também alcançam mulheres transexuais que conseguiram alteração de gênero nos registros civis. As novas condições ainda beneficiam mulheres indígenas, o que não estava previsto em 2017.

O decreto deste ano também estabelece regras para o indulto a mulheres submetidas a medida de segurança que "tenham suportado privação da liberdade, internação ou tratamento ambulatorial".

Fonte: G1

Homem não aceita fim de relação, mata ex e comete suicídio

Uma mulher de 32 anos foi assassinada a facadas pelo ex-companheiro, que não aceitava o fim do relacionamento, na cidade de Itacaré, no sul da

Rocha de 50 toneladas despenca e destrói plantação em Guaratinga

Guaratinga: Uma rocha com cerca de 50 toneladas despencou de um paredão na cidade de Guaratinga, extremo sul da Bahia, e destruiu parte da

Assaltantes são presos após ‘arrastão’ na cidade de Itabela

EUNÁPOLIS: Cinco pessoas, dentre elas duas mulheres, foram presas na tarde de quinta-feira (24), em Itabela, sob a acusação de cometer uma

Traficante é flagrado em casa com revólver e maconha

Investigadores da Delegacia Territorial (DT), de Arraial D’Ajuda, prenderam, na quarta-feira (23), Fábio da Conceição Xavier, o Sabotagem. Ele

Homem que agrediu ex em Santo Antonio de Jesus está foragido

O agressor Felipe Pedreira está sendo procurado pela polícia, desde sexta-feira (18), quando a Justiça acatou ao pedido de prisão preventiva

Homem preso com retroescavadeira “adulterada” prova inocência

Cansanção: Em março de 2017, o senhor Lídio Almeida de Oliveira, 43 anos, foi preso na cidade de Cansanção, proximo ao Senhor do Bonfim,

Recém-nascida achada em sacola ao lado de igreja recebe alta

A bebê recém-nascida encontrada ainda com o cordão umbilical dentro de uma sacola plástica na cidade de Itacaré, no baixo sul da Bahia,

Ministério Público investiga concurso da PM e dos Bombeiros

Após ter recomendado a suspensão do concurso da Polícia Militar da Bahia, o Ministério Público do Estado (MP-BA) abriu inquérito civil para

Paralisação na BR: Bloqueios continuam e empresário teixeirense é

Teixeira de Freitas: O protesto dos caminhoneiros por todo o Brasil, além de grande repercussão e aceitação por parte dos brasileiros, começa

Preso treinador de futebol acusado de abuso sexual em Eunápolis

Eunápolis: Policiais civis da 23ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior, com sede em Eunápolis, cumpriram mandados de prisão

Nossos Apoiadores: