O presidente Michel Temer assinou nesta sexta-feira (11) decreto que estabelece as regras para que mulheres presas tenham direito ao indulto especial, concedido em razão do Dia das Mães. De acordo com a assessoria do Palácio do Planalto, o decreto será publicado em edição extraordinária do "Diário Oficial da União" nesta sexta, último dia útil antes do Dia das Mães, comemorado no próximo domingo (13).

Previsto na Constituição como uma atribuição do presidente da República, esse benefício não trata das saídas temporárias, nas quais presas precisam retornar à prisão.

Conforme o texto do decreto, divulgado pelo Planalto, o indulto especial, que trata de um tipo de perdão da pena, será concedido a presas, brasileiras ou estrangeiras, que até o próximo domingo (13) não tenham sido punidas com "prática de falta grave nos últimos 12 meses" e que se enquadrem nos seguintes requisitos:

Mães condenadas à pena privativa de liberdade por crime cometido sem violência ou grave ameaça, que possuam filhos de até 12 anos de idade, ou de qualquer idade se pessoa com deficiência, que necessite de seus cuidados, desde que cumprido um sexto da pena;

Avós condenadas à pena privativa de liberdade por crime cometido sem violência ou grave ameaça, que possuam netos de até 12 anos de idade ou de qualquer idade se pessoa com deficiência, que necessite de seus cuidados e esteja sob a sua responsabilidade, desde que cumprido um sexto da pena;

Condenadas à pena privativa de liberdade por crime cometido sem violência ou grave ameaça, que tenham completado 60 anos de idade ou que não tenham 21 anos completos, desde que cumprido um sexto da pena;

Condenadas por crime cometido sem violência ou grave ameaça, que sejam consideradas pessoa com deficiência e as diagnosticadas com doenças crônicas graves ou com doenças terminais;

Gestantes condenadas à pena privativa de liberdade;

Ex-gestantes, que tiveram aborto natural dentro da unidade prisional, condenadas à pena privativa de liberdade, desde que comprovada a condição por laudo médico emitido por profissional designado pelo juízo competente;

Condenadas à pena privativa de liberdade não superior a oito anos pela prática do crime previsto no art. 33 da Lei nº 11.343, de 23 de agosto de 2006, cuja sentença tenha reconhecido a primariedade da agente, os seus bons antecedentes, a não dedicação às atividades criminosas e a não integração de organização criminosa e tenha sido aplicado o redutor previsto no § 4º do referido artigo, desde que cumprido um sexto da pena;

Condenadas à pena privativa de liberdade não superior a oito anos por crime cometido sem violência ou grave ameaça, desde que cumprido um quarto da pena, se não forem reincidentes;

Condenadas à pena privativa de liberdade não superior a oito anos por crime cometido sem violência ou grave ameaça, desde que cumprido um terço da pena, se forem reincidentes;

Indígenas condenadas por crime cometido sem violência ou grave ameaça, que possuam Registro Administrativo de Nascimento de Indígena, desde que cumprido um quinto da pena, se não forem reincidentes.

O decreto também trata da "comutação" de penas privativas de liberdade, ou seja, das condições para que as presas tenham direito a uma redução da punição. As penas podem ser reduzidas em um quarto, dois terços e pela metade, conforme as regras da medida.

No texto do decreto, Temer aponta que tomou a decisão "considerando a necessidade de implementar melhorias no sistema penitenciário brasileiro e promover melhores condições de vida e a reinserção social às mulheres presas".

Em 2017, o presidente também assinou um decreto semelhante. No texto do ano passado, no caso de gestantes, o indulto ficou restrito apenas a mulheres com gravidez de risco. Já em 2018, Temer decidiu ampliar a medida para todas as gestantes, incluindo, ainda, ex-gestantes que tiveram aborto natural dentro da unidade prisional.

Outra novidade é que as regras do decreto também alcançam mulheres transexuais que conseguiram alteração de gênero nos registros civis. As novas condições ainda beneficiam mulheres indígenas, o que não estava previsto em 2017.

O decreto deste ano também estabelece regras para o indulto a mulheres submetidas a medida de segurança que "tenham suportado privação da liberdade, internação ou tratamento ambulatorial".

Fonte: G1


Comerciante de Itamaraju morre em acidente em Teófilo Otoni-MG

Um comerciante de Itamaraju morreu em um acidente automobilístico na madrugada desta terça-feira, dia 14, na rodovia BR-101, proximidades de

Autor de homicídio em Ilhéus tem mandado cumprido

Fagner Santana dos Santos, o Pino, acusado de assassinar o desafeto Jeferson dos Santos de Souza, no dia 23 de junho deste ano, em Ilhéus, teve o

Homem oferece vaga de emprego e sequestra adolescente

Com diversas passagens pela polícia por estelionato, Clodoaldo da Silva Aquino foi preso, na terça-feira (14), durante uma ação conjunta das

Homem que furtou notebook de juiz é preso em Abrantes

Acusado de furtar o notebook do juiz da Comarca de Pojuca, José Raimundo Santana dos Santos teve a prisão preventiva cumprida, na terça-feira

Receptador tem mandado cumprido no interior

A equipe da Delegacia Territorial (DT), de Riachão do Jacuípe, município distante 186 quilômetros de Salvador, cumpriu, na manhã desta

Quadrilha suspeita de tráfico é desarticulada em Itarantim

Uma quadrilha suspeita de envolvimento com o tráfico de drogas foi desarticulada, na segunda-feira (13), durante uma operação conjunta entre

Homem é preso por se passar por PM para obter vantagens

Um homem que se passava por um policial militar do Maranhão foi preso em Ibotirama, na região do Velho Chico, oeste baiano. Conforme a Polícia

Traficante que torturava rivais é preso com drogas em Massaranduba

O traficante Jeferson dos Santos Feitosa, o Sherek, de 22 anos, acusado de torturar uma dupla que praticava assaltos na região de Massaranduba,

Vigilante é preso por suspeita de tentar estuprar criança em escola

Um vigilante de 33 anos foi preso suspeito de tentativa de estupro contra uma menina de 10 anos, em Itamaraju, cidade no sul da Bahia. A delegada

Acusado de liderar quadrilha tem mandado cumprido em Belmonte

Acusado de liderar uma quadrilha de traficantes e homicidas nas cidades de Belmonte e Canavieiras, Talmo Eugênio Santos Júnior teve o mandado de

Nossos Apoiadores: