Um medicamento que impede a propagação do vírus HIV na corrente sanguínea, já indicado como terapia antirretroviral nos Estados Unidos e em países da Europa, estará disponível ainda este mês para pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) em 12 estados. O comprimido, fabricado por um grupo norte americano, já era indicado para o tratamento de soropositivos como parte do coquetel de aids.

De acordo com informações da Agência Brasil, a novidade é que o fármaco poderá ser utilizado agora por quem nunca entrou em contato com o vírus, mas pode estar exposto a ele durante a relação sexual. É o caso, por exemplo, de profissionais do sexo. Vale lembrar que não protege o usuário contra outras infecções transmitidas sexualmente.

A distribuição do remédio pelo SUS vai priorizar 7 mil pessoas com mais de 18 anos, consideradas grupos de risco de contaminação, incluindo profissionais de saúde, homens que se relacionam com homens, transexuais e casais sorodiscordantes - quando um dos parceiros é portador do HIV e o outro não. Antes do início da terapia, no entanto, é necessário fazer exames, uma vez que o remédio é contraindicado para pessoas com doenças renais e desgaste nos ossos.

Segundo o médico Juan Carlos Raxach, coordenador da área de Promoção da Saúde e Prevenção da Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids, embora o Truvada, nome comercial do medicamento, tenha demonstrado 99% de eficácia nos testes clínicos, para impedir a replicação do vírus HIV, não veio para substituir a camisinha. “Está se falando muito que a profilaxia pré-exposição vem para acabar com o uso da camisinha. Chegou para ampliar as possibilidades de se prevenir da infecção do HIV.

Então, ele não vai substituir a camisinha, mas, com certeza, ampliará a possibilidade de prevenção e dará oportunidade àquelas pessoas que não gostam utiliza-la, de ter outro método para não se infectar com o vírus. ” Ente as primeiras capitais a receber o medicamento estão Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Manaus e São Paulo.

MG decreta emergência em 94 municípios por febre amarela

O governo do Estado de Minas Gerais decretou estado de emergência de saúde pública em 94 municípios em razão da febre amarela. A medida,

2 mortes confirmadas por reação à vacina de febre amarela

Idosa de 76 anos e homem que ainda não teve identidade revelada morreram após a vacina. Outras três mortes estão em investigação. A cidade

Febre amarela, devo me vacinar? Veja o que é recomendado

Novos casos têm provocado longas filas nos postos de saúde. Veja para quem há recomendação de se vacinar. Com a notícia de novos casos de

Temóteo Brito faz entrega de centenas de óculos e próteses

Teixeira de Freitas: Centenas de pessoas receberam seus óculos e próteses dentárias na manhã desta quinta-feira, 18 de janeiro, em uma

Alcobaça vai realizar mais um mutirão de glaucoma

Será no próximo dia 1º de fevereiro. Os médicos - e toda a estrutura necessária para a análise e o diagnóstico da doença - estarão

Nova norma: cigarros devem ser vendidos longe de doces e brinquedos

O texto deverá ser publicado no Diário Oficial nos próximos dias A Diretoria Colegiada da Anvisa aprovou na última terça feira, uma

Teste em tempo real para HPV passa a ser feito pelo SUS na Bahia 

Exame para detecção do vírus será realizado no Lacen-BA  O teste em tempo real para detecção do vírus papiloma humano (HPV) já pode ser

Equilíbrios físico e mental: saiba mais sobre o Pilates

Método pode ser utilizado por diversos públicos e no atendimento de diferentes objetivos. Aliado na busca por um corpo equilibrado, forte e

Diagnóstico de Câncer já é coberto por seguro

Poucas palavras assustam mais as pessoas que “câncer”, doença que até a década passada tinha o peso de uma sentença de morte. Do início

Febre amarela: ministério registra 35 casos e 20 mortes no Brasil

Em meio ano, 20 pessoas morreram. Dados do Ministério da Saúde consideram meses de julho do ano passado a janeiro deste ano. SP e MG têm maior

Lecão natal
Casa das Correias
previcon
Connect Informática
Pitagoras Connect
Nossos Apoiadores: