Selwa Hussei é a segunda pessoa do Reino Unido a receber um coração artificial – e a primeira a sair do hospital com ele. Selwa Hussein, de 39 anos, notou que havia algo errado no início do ano passado. Primeiro, ela teve uma grave retenção de líquido. Depois, começou a sentir dores no peito e a ter dificuldade para respirar. “Fiquei muito preocupada, porque era algo serio”, conta.

Em junho, foi diagnosticada nela uma insuficiência cardíaca grave, fruto de uma cardiomiopatia dilatada familiar, um mal hereditário. Essa doença deixa o músculo do coração enfraquecido, afetando sua capacidade de bombear sangue. Selwa precisaria de um transplante, mas sua situação era tão séria que os médicos decidiram que ela não conseguiria esperar por um doador. Foi assim que ela se tornou a segunda pessoa do Reino Unido a receber um coração artificial – e a primeira a sair do hospital com ele fora do corpo.

Como funciona?

Em 27 de junho, em uma operação de seis horas no Hospital Harefield, em Londres, o coração de Selwa Hussein foi retirado. No lugar, foi implantado um órgão de plástico. "De antes da cirurgia, só me lembro de chorar e dizer adeus à minha família. Quando acordei, disseram que tinham removido meu coração", conta. "Estava tão desorientada que pensei: 'O que isso significa? Será que eu morri?'"

Hoje, Selwa carrega o tempo todo nas costas seu “coração temporário”, em uma mochila que pesa 7 kg. O aparelho movido a bateria faz o trabalho de um coração de verdade e mantém o sangue circulando em seu corpo. Para isso, dois tubos conectados à mochila entram no corpo de Selwa na região do estômago e vão até o tórax. Uma bomba envia ar pelos tubos para encher dois balões, que cumprem a função das cavidades cardíacas, bombeando sangue pelo corpo.

Um equipamento reserva fica a postos caso o principal apresente algum problema. Selwa ainda precisa ter a seu lado, 24 horas por dia, uma pessoa treinada para lidar com o aparelho. ‘Valorizo mais a vida’, disse.

Ela começou a reabilitação em agosto e recebeu permissão para passar o Natal com a família. "Sua recuperação tem sido excelente", diz o médico Andre Simon, que conduziu a cirurgia. "Para a equipe médica, ter um coração artificial à disposição nos dá uma opção quando já não havia outras alternativas. Sem isso, Selwa não teria sobrevivido." A mulher é uma das muitas pessoas no Reino Unido à espera por um transplante.

Mas nem todas conseguirão um doador a tempo: no período 2016/2017, 40 pessoas morreram enquanto esperavam por um coração no país. Uma bomba envia ar pelos tubos para encher dois balões, que cumprem a função das cavidades cardíacas, bombeando sangue pelo corpo. Um equipamento reserva fica a postos caso o principal apresente algum problema.

"Eu me dei conta de várias coisas quando estava naquele leito de morte", diz ela. "Uma delas é que não devo me importar com coisas que nos estressam, como problemas domésticos ou com as pessoas. Valorizo muito mais a vida agora."

Fonte: G1

Número de embriões humanos congelados cresce 17% no Brasil

O Brasil registrou crescimento de cerca de 17% no número de embriões humanos produzidos pelas técnicas de fertilização in vitro

Alcobaça lança “Consultório Móvel” para atender comunidades

Alcobaça: O anúncio oficial foi feito nesta quinta-feira (17), quando já foram realizados os atendimentos na Comunidade Pequi (localidade

Número de casos de H1N1 sobe 14% na Bahia em seis dias

Em seis dias, os casos confirmados de H1N1 subiu de 100 para 114 na Bahia. O avanço representa um aumento de 14%, segundo dados divulgados pela

Recém-nascida de 6 quilos chama a atenção de médicos em MG

Um parto ocorrido na maternidade da Santa Casa de Misericórdia e Hospital São Vicente de Paulo em Porteirinha, no Norte Minas, surpreendeu e

Ministro Gilberto Occhi quer planos de saúde alternativos

O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, encomendou à Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) a retomada da discussão sobre novos formatos de

Contrato do Ministério para testes rápidos de HIV é suspenso

O Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu suspender cautelarmente o contrato firmado pelo Ministério da Saúde com a empresa Orange Life

Paciente que estava internado com Guillain-Barré morre

Valdemir de Jesus dos Santos, de 53 anos, que estava internado após ser diagnosticado com a síndrome de Guillain-Barré, teve uma parada

Morre 5ª criança com suspeita de infecção por raiva humana

A Secretaria de Saúde Pública do Pará confirmou, na noite de sexta-feira (11), a morte da quinta vítima por suspeita de raiva humana na ilha

Em oito anos, Brasil perdeu 34 mil leitos hospitalares do SUS

O Brasil perdeu 34 mil leitos hospitalares em unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) nos últimos quatro anos. De acordo com levantamento feito

Mais de 500 casos de chikungunya são confirmados em Teixeira

Teixeira de Freitas: De janeiro até 25 de abril deste ano, 546 casos de chikungunya foram confirmados em Teixeira de Freitas, cidade no extremo

Nossos Apoiadores: