DJ 2018.1

Depois da bebedeira, o corpo fica desidratado e precisa de tempo para metabolizar o álcool que está no sangue.

Que Carnaval é sinônimo de festa e diversão, todo mundo concorda. Mas, para algumas pessoas, os quatro dias de farra também significam exagero... Ou seja, dançar, pular e beber até cair. No outro dia, o que sobra é a ressaca e aquele desejo de que o mundo acabe —  e, com ele, a dor de cabeça, o enjoo, a dor de estômago e o mal-estar.

Mas o que é ressaca? A médica hepatologista Edna Strauss, da Sociedade Brasileira de Hepatologia, explica que quando uma pessoa ingere uma bebida alcoólica, o álcool passa pelo tubo digestivo, que absorve uma parte, mas 90% da substância vai para o fígado

O problema é que o fígado não consegue metabolizar tudo. Parte do álcool ingerido acaba indo para a corrente sanguínea e, assim, passa por todo o corpo, inclusive pelo cérebro. O que define uma ressaca mais ou menos forte é a sensibilidade de cada um, “quem bebe todos os dias, não sente tanto os efeitos da ressaca, o que não significa que o organismo não sofra as consequências do alto nível de álcool no sangue”, disse a Hepatologista.

O tipo de bebida também influencia na intensidade da ressaca, e isso não está ligado ao teor alcoólico do drink. A ressaca é causada pelo álcool e por outras substâncias que cada bebida tem. Algumas vodcas, por exemplo, chegam a ter mais de 80% de teor alcoólico, no entanto, de acordo com a Sociedade Brasileira de Hepatologia, as vodcas de boa qualidade são as bebidas que causam menos ressaca.

Por outro lado, o vinho tinto e o uísque podem causar as ressacas mais fortes. Isso acontece porque a vodca é feita apenas com etanol. Enquanto que as bebidas mais escuras possuem outros tipos de compostos biologicamente ativos que são produzidos durante o processo de fermentação. A regra diz que quanto mais escura for a bebida, maior a ressaca.

E o que fazer para curar a ressaca? De acordo com Edna Strauss, a única possibilidade é “descansar e esperar o organismo metabolizar o álcool que ainda está no sangue. Só assim os efeitos vão passar”. A médica explica que não adianta tomar remédio, os comprimidos, como a aspirina só vai sobrecarregar ainda mais o fígado - e a ressaca vai demorar mais para passar.

Mas a médica dá uma dica para quem não pode, ou não pretende, ficar o dia todo na cama: tomar muita água ou água de coco e se alimentar. “O ideal é comer alimentos leves, mesmo que a pessoa não tenha fome”, explica Strauss. Quem está realmente mal, pode apelar para o soro caseiro – em um copo de 200 ml de água, coloque uma colher de sopa de açúcar e uma colher de chá de sal. A receita não faz milagre, mas pode ajudar na recuperação.

Curar a ressaca com mais álcool? Acredite, não é uma boa ideia. Durante a ressaca o seu organismo está tentando metabolizar o álcool que ainda está na corrente sanguínea. Ingerir mais álcool vai fazer com que o processo leve mais tempo.

Fonte:R7

Prefeitura de Teixeira de Freitas repassa incentivo aos Agentes

Teixeira de Freitas: Nesta sexta-feira, dia 20 de abril, a Prefeitura Municipal de Teixeira de Freitas, através da Secretaria Municipal de Saúde,

Caps II realiza comemoração em alusão do Dia Mundial da Saúde em

Teixeira de Freitas: Na manhã desta quarta-feira, dia 18 de abril, o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), realizou um evento em alusão ao Dia

Alcobaça vai dar início à campanha de vacinação contra a gripe

Alcobaça: Os dias estão ficando cada vez mais frios. É a proximidade do inverno, estação do ano quando aumentam os casos de gripe e febre,

Os diferentes tipos de vírus da gripe que circulam pelo Brasil

Este ano, até 7 de abril, o Brasil contabilizou 286 casos de influenza, comumente conhecida como gripe. Desse total, 117 casos e 16 óbitos foram

BA registra aumento de 50,6% em ataques de escorpiões

O número de acidentes com escorpiões na Bahia subiu 50,6% em dois anos. Ao todo, de 2015 a 2017 as notificações saíram de 10.136 para 15.265.

Idoso de 61 anos morre com gripe H1N1 em Serrinha

Um idoso de 61 anos morreu com a gripe H1N1 na cidade de Serrinha, a cerca de 175 km de Salvador. De acordo com Edy Gomes, coorndenador do

Bahia tem 4 mortes por H1N1; campanha de vacinação começa dia 23

Bahia teve quatro mortes provocadas pela gripe H1N1, até o dia 7 de abril, conforme dados divulgados pela Secretaria de Saúde do Estado

Vacina feita no Brasil eliminou câncer de pele em cobaias, diz

Pesquisadores brasileiros desenvolveram uma vacina contra o câncer e obtiveram bons resultados nos testes realizados em camundongos. O resultado

Prefeito de Alcobaça se reuniu com a equipe de saúde do Caxangá

Alcobaça: O objetivo, segundo o Prefeito Léo Brito, foi ouvir as demandas destes profissionais, ao tempo em que mantém uma sintonia com as

Prefeito Temóteo Brito visita HMTF e conversa com a população

Teixeira de Freitas: Na manhã desta quarta-feira, dia 11 de abril, o Prefeito Temóteo Alves de Brito acompanhado de Secretários Municipais

 

 

Nossos Apoiadores: