Durante a folia, banheiros públicos e banheiros químicos escondem inimigos que podem acabar com a sua festa; saiba como se proteger

Você está no meio do bloco e dá aquela vontade de fazer xixi. Qual é a melhor opção? Banheiro público ou banheiro químico? De acordo com a médica Carmem Manzione Nadal, da Sociedade Brasileira de Coloproctologia, as duas são ruins. Ela explica que esses tipos de banheiro nem sempre recebem uma higienização adequada, principalmente durante as festas, e que podem ser fonte de doenças de contato ou até mesmo algumas DST.

“Mulheres e crianças em especial não devem sentar no vaso sanitário sem utilizar um protetor. Caso a pessoa não tenha o protetor, pode forrar a tábua do vaso com papel higiênico ou papel toalha, desde que o assento não esteja molhado. É preciso tomar cuidado porque ainda não sabemos quanto tempo vírus como o HPV vivem fora do organismo”, afirma Carmen Manzione Nadal.

Os banheiros químicos exigem cuidado redobrado pela forma como funcionam e por passarem muitas vezes o dia inteiro sem receber higienização. A engenheira química da UFPE, Universidade Federal de Pernambuco, Angeles Perez Palha, explica que banheiros mal cuidados são fontes de  inúmeras doenças que são causadas pelos micro-organismos presentes nas fezes.

"Daí a necessidade insistente em lavar as mãos com água e sabão ou sabonete, preferencialmente, evitando-se desta forma contaminações de olhos, boca ou alimentos", explica Palha.

Quem vai viajar também precisa tomar cuidado. Banheiros de ônibus e de avião podem até ser higienizados, mas isso não significa que quem usa está livre do perigo. "No caso de banheiros de ônibus e avião, os problemas são os mesmos, mas decorrem do mau uso do banheiro, nem sempre da falta de limpeza do mesmo", explica a engenheira química.

Banheiros aparentemente limpos também guardam micróbios. O importante é sempre se certificar que o lugar tem água para lavar as mãos antes e após uso do banheiro.

Palha ainda dá outra dica: "Pegue em maçanetas de portas e pontos de descarga com papel.  De preferência leve em sua bolsa pacotinho com papel próprio para cobrir o aparelho sanitário. Evite contato entre sua pele e a louça de banheiros desconhecidos. Caso você esteja muito apertado e não tenha água para a higiene de suas mãos, leve sempre álcool gel".

Fonte: R7

Secretaria abre sindicância para investigar caso de paciente que

Nova Viçosa: Um vídeo que circulou nas redes sociais nas últimas horas registra um cidadão sofrendo um ataque epiléptico na recepção do

OMS estuda exame de sangue que detecta câncer de pulmão

Um exame de sangue em estudo aumenta a precisão de detecção precoce do câncer de pulmão, diz a Organização Mundial de Saúde. O teste

Bahia é quinto estado que mais perdeu leitos de internação do SUS

Mais de 1,9 mil leitos de internação da rede pública foram desativados na Bahia nos últimos oito anos. O estado ocupa o quinto lugar em

Brasil tem 415 mortes confirmadas por febre amarela

Desde julho de 2017, o Brasil registrou 415 mortes por febre amarela, informa o último boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da

Pessoas casadas têm menor risco de morte por doenças do coração

Uma pesquisa desenvolvida por pesquisadores britânicos mostrou que o casamento pode proteger o coração. A partir da revisão de 34 estudos, com

Bahia lidera ranking de feridos por fogos de artifício

De acordo com dados do Sistema de Informação Hospitalar do governo federal, a Bahia é o estado que lidera o ranking de feridos por fogos de

Vacina contra sarampo pode ser aplicada em adultos e crianças

Brasil assiste em 2018 ao retorno do sarampo, infecção que já foi considerada "doença comum na infância" décadas antes de ser eliminada do

Brasil tem 327 mortes de crianças por zika desde novembro de 2015

O Brasil teve 327 morte de crianças relacionadas ao vírus desde novembro de 2015, quando o Ministério da Saúde passou a considerar a relação

Bahia tem 15% dos municípios com risco de retorno da poliomielite

Pelo menos 312 cidades brasileiras registram alto risco de retorno da poliomielite, sendo a Bahia o Estado com o quadro mais crítico. No total,

Poluição do ar provocou 32 milhões de casos de diabetes

A cada sete novos casos de diabetes, um é causado pela poluição do ar, de acordo com um estudo da revista Lancet Planetary Health. Embora a

Nossos Apoiadores: