Comer bacon e salsicha com frequência pode aumentar o risco de câncer de mama, conclui estudo publicado recentemente no International Journal of Cancer.

Em uma revisão sistemática de 15 pesquisas, cientistas de diversos países - entre eles Estados Unidos, Reino Unido, Japão e Itália -, apontaram no levantamento que mulheres que consomem altos níveis de carne processada apresentam um risco 9% maior de desenvolver a doença, em comparação com aquelas que comem pouco.

Os achados confirmam descobertas anteriores da Organização Mundial de Saúde (OMS), que coloca as carnes processadas na lista de alimentos considerados cancerígenos.

Especialistas recomendam, no entanto, cautela em relação aos resultados do estudo, já que as pesquisas avaliadas têm definições diferentes do que seria "consumo elevado" e, muitas vezes, têm caráter observacional - ou seja, levam em consideração informações fornecidas pelos pacientes, não sendo suficientes para estabelecer relação direta de causa e efeito.

 

Qual é o risco?

No Reino Unido, 14 em cada 100 mulheres terão câncer de mama em algum momento de suas vidas. A ONG britânica Cancer Research UK, dedicada a combater a doença, estima que cerca de 23% dos cânceres de mama podem ser prevenidos.

Autores do estudo afirmam que a relação com o câncer de mama se refere apenas à carne processada, e não à carne vermelha.Estima-se que cerca de 8% dos casos sejam motivados ​​por excesso de peso e obesidade, enquanto outros 8% pelo consumo de álcool.

Os autores do estudo, publicado no International Journal of Cancer, afirmam que a relação que eles encontraram se refere apenas à carne processada, e não à carne vermelha. A OMS lista a carne processada como cancerígena, principalmente devido a evidências que a associam a um risco elevado de câncer de intestino, enquanto a carne vermelha é classificada como "provavelmente cancerígena".

O que é carne processada?

A carne processada é modificada para estender o prazo de validade ou alterar o sabor - é geralmente defumada, curada, salgada ou contém conservantes. Entre elas, estão o bacon, linguiça, salsicha, salame, carne enlatada, carne seca e presunto.

Existem diferentes teorias de por que esse tipo de alimento pode aumentar o risco de câncer - uma delas diz que o conservante pode reagir com a proteína da carne, tornando-a cancerígena.

Até que ponto as descobertas são confiáveis?

O estudo, que inclui dados sobre mais de um milhão de mulheres, mostra uma ligação entre o consumo de carne processada e o risco de câncer de mama, mas não está claro se esse tipo de alimento realmente causa a doença. Há outras questões a serem consideradas.

Sistema público de saúde britânico recomenda não ingerir mais de 70 gramas de carne vermelha e processada por dia. Os 15 estudos analisados têm diferentes definições para o que seria uma taxa de consumo elevada. Por exemplo, uma pesquisa do Reino Unido classifica o alto consumo em mais de 9 gramas por dia - o equivalente a apenas duas ou três fatias por semana, enquanto outros estudos consideram uma quantidade muito maior.

Além disso, a maioria das pesquisas analisadas é observacional, então não conseguem provar relação de causa e efeito, se baseando na memória das participantes sobre o que e quanto comeram.

Os pesquisadores registraram o relato das mulheres e as acompanharam para ver se desenvolveriam câncer de mama. Mas o problema desta metodologia é que quem consome mais ou menos carne processada também pode ter outros hábitos diferentes, que podem explicar as diferenças no risco de desenvolver a doença.

Devemos cortar a carne processada?

A principal autora do estudo, Maryam Farvid, da Escola T.H. Chan de Saúde Pública de Harvard, nos Estados Unidos, recomenda reduzir o consumo de carne, em vez de eliminá-la por completo. Atualmente, o sistema público de saúde britânico (NHS, na sigla em inglês) recomenda não ingerir mais de 70g de carne vermelha e processada por dia.

Gunter Kuhnle, professor associado de nutrição e saúde da Universidade de Reading, no Reino Unido, que não participou do estudo, disse que era "questionável" se as pessoas deveriam reduzir seu consumo de carne vermelha e processada por causa desta pesquisa.

Segundo ele, o risco real representado pelas carnes processadas é "muito pequeno" para o indivíduo e mais relevante para a população em geral. Ele diz, no entanto, que os resultados do estudo devem ser acompanhados para investigar a relação entre carne processada e câncer - e verificar se o risco associado pode ser reduzido, por exemplo, por meio de novos métodos de produção de alimentos.

Fonte: BBC Brasil


‘As doenças do século têm relação com o ruído’, diz

Confira entrevista completa com a arquiteta Débora Barretto Especialista em acústica e diretora técnica da Audium, a arquiteta Débora Barretto

Vacina contra sarampo pode ser aplicada em adultos e crianças?

Doença é altamente contagiosa e há surto no Norte do Brasil. Na rede pública, vacina administrada é a tríplice viral: protege contra caxumba,

Comissão do Senado faz audiência pelo Dia do Orgulho Autista

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado Federal, realizou na manhã de hoje (18) uma audiência que tratou do

Adolescente de 16 anos morre de dengue em Irecê

Uma menina de 16 anos morreu de dengue, em Irecê, no norte da Bahia. O resultado confirmando a doença saiu nesta segunda-feira (17), de acordo

Saúde recebe 3 mil novas doses da vacina contra a gripe

Teixeira de Freitas: A Secretaria Municipal de Saúde de Teixeira de Freitas, recebeu do Ministério da Saúde, via Secretaria Estadual de Saúde

Imunoterapia é aposta da medicina para vencer o câncer

Nos últimos anos, os avanços da oncologia revolucionaram a forma de tratar o câncer. Em 2018, dois pesquisadores ganharam o Prêmio Nobel de

Ministério da Saúde reforça necessidade da doação de sangue

Doação voluntária é importante para manutenção dos estoques Dezesseis brasileiros em cada mil são doadores de sangue, o que representa 1,6%

Sesab diz que parto normal é orientação preferencial, mas seguirá

A Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) reafirmou que seguirá eventuais alterações no protocolos do Ministério da Saúde para a realização de

Cientistas criam técnica para alterar tipo de sangue para

Cientistas utilizaram enzimas de bactérias intestinais para transformar os tipos de sangue, para que não haja mais incompatibilidade entre

ANS suspende venda de 51 planos de saúde de 11 operadoras

Cinquenta e um planos de saúde de 11 operadoras tiveram a comercialização proibida a partir desta sexta-feira, 14. A decisão da Agência

Nossos Apoiadores: