Acessório muito comum nos banheiros de antigamente, item que deixou de fazer parte da decoração era um aliado contra algumas doenças

Posicionado ao lado do vaso sanitário, o bidê era mais do que item obrigatório na decoração dos banheiros de antigamente. Servia como aliado na prevenção de infecções e incômodos na região íntima.

O hábito de fazer a higiene com água e sabão, facilitado pelo uso do bidê, foi paulatinamente sendo abandonado, aumentando os riscos para a saúde. 

Professor titular de urologia da Unicamp, Ubirajara Ferreira, da clínica UroHominis, acredita que o bidê era uma forma de o indivíduo se adaptar para fazer higiene íntima da região do períneo. A ducha presente em alguns projetos arquitetônicos tem a mesma função, mas não está presente em todos os lugares.

"A ducha higiencia é fundamental. Defecar e deixar restos de fezes causa problemas. As fezes sempre têm bactérias. Se ficam ao redor do ânus causam problemas irritativos, coceira. Obviamente que, se não lavar, vai ficar resto e pode causar uma irritação local", explica o médico.

 Para as mulheres, o risco é ainda maior.  "Essas bactérias podem entrar em contato com a vagina, subir até uretra e causar cistite. A cistite normalmente é causada por bactérias intestinais, como a  E.coli, que vem de fora para o canal.  No caso da vagina também é importante ressaltar que mulher tem bacilos naturais e se houver contaminação podem levar a uma infecção", detalha Ferreira.

Rogério Tadeu Felizi, ginecologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, reitera que a anatomia do sistema reprodutor feminino e sua proximidade ao trato gastrointestinal (anus) torna o corpo feminino mais sensível à falta de higienização.

"Devido à grande proximidade da região genital feminina ao ânus, frequentemente esta pode ser contaminada por microorganismos presentes no trato gastrointestinal. Isso é mais comum em crianças que ao fazer sua higiene intima podem levar bactérias do ânus para região genital, também é muito frequente em mulheres acamadas ou que necessitam fazer uso de fraldas. Nesses casos a lavagem é fundamental para evitar as infecções genitais", explica o médico.

Para Felizi, a utilização de duchas higiênicas após as evacuações pode ajudar na diminuição de microorganismos na região vulvar e consequente contaminação da região genital por bactérias do trato gastrointestinal provenientes da região anal. "Quando não é possível a lavagem desta região muitos profissionais sugerem a utilização de lenços umedecidos", recomenda.

Na opinião do urologista Ubirajara Ferreira, todos os banheiros, principalmente os comunitários, deveriam ser obrigados a ter duchinha.

Fonte: R7


‘As doenças do século têm relação com o ruído’, diz

Confira entrevista completa com a arquiteta Débora Barretto Especialista em acústica e diretora técnica da Audium, a arquiteta Débora Barretto

Vacina contra sarampo pode ser aplicada em adultos e crianças?

Doença é altamente contagiosa e há surto no Norte do Brasil. Na rede pública, vacina administrada é a tríplice viral: protege contra caxumba,

Comissão do Senado faz audiência pelo Dia do Orgulho Autista

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado Federal, realizou na manhã de hoje (18) uma audiência que tratou do

Adolescente de 16 anos morre de dengue em Irecê

Uma menina de 16 anos morreu de dengue, em Irecê, no norte da Bahia. O resultado confirmando a doença saiu nesta segunda-feira (17), de acordo

Saúde recebe 3 mil novas doses da vacina contra a gripe

Teixeira de Freitas: A Secretaria Municipal de Saúde de Teixeira de Freitas, recebeu do Ministério da Saúde, via Secretaria Estadual de Saúde

Imunoterapia é aposta da medicina para vencer o câncer

Nos últimos anos, os avanços da oncologia revolucionaram a forma de tratar o câncer. Em 2018, dois pesquisadores ganharam o Prêmio Nobel de

Ministério da Saúde reforça necessidade da doação de sangue

Doação voluntária é importante para manutenção dos estoques Dezesseis brasileiros em cada mil são doadores de sangue, o que representa 1,6%

Sesab diz que parto normal é orientação preferencial, mas seguirá

A Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) reafirmou que seguirá eventuais alterações no protocolos do Ministério da Saúde para a realização de

Cientistas criam técnica para alterar tipo de sangue para

Cientistas utilizaram enzimas de bactérias intestinais para transformar os tipos de sangue, para que não haja mais incompatibilidade entre

ANS suspende venda de 51 planos de saúde de 11 operadoras

Cinquenta e um planos de saúde de 11 operadoras tiveram a comercialização proibida a partir desta sexta-feira, 14. A decisão da Agência

Nossos Apoiadores: