Teixeira de Freitas: O Centro Especializado de Reabilitação de Teixeira de Freitas (CER 4) está qualificado para atender as demandas intelectuais, físicas, auditivas e visuais. As duas novas especialidades foram confirmadas com a publicação da Portaria Nº 3.164, de 3 de Dezembro de 2019, assinada pelo Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

A Unidade foi preparada para atender estas especializações desde a sua fundação, entretanto, só estavam habilitadas, junto ao Ministério da Saúde, as reabilitações física e intelectual. Com a publicação da Portaria, o Centro também atuará com as qualificações auditiva e visual. “Agora somos CER 4 de verdade”, comemorou o secretário de Saúde de Teixeira de Freitas, Hebert Chagas, referindo-se as quatro especialidades.

Esse ganho para a saúde pública de Teixeira de Freitas e região é resultado da movimentação do secretário Hebert.  Ele esteve em Salvador na semana passada em reunião com os conselheiros e responsáveis pelo processo de qualificação dos Centros de Reabilitação na Bahia. Na ocasião, o secretário expôs os investimentos do município em equipamentos e mão-de-obra. A ação deu início à apreciação e por fim, a confirmação das novas habilitações.

O diretor do CER 4, Marcelo Mattos, confirmou que mais de 80% dos equipamentos já foram adquiridos, os profissionais estão contratados e as reformas feitas com orçamento próprio do município estão praticamente finalizadas. Segundo o diretor, “graças ao empenho da Prefeitura, logo nos primeiros meses de 2020, as quatro especializações estarão ativas”.

Atualmente, o Centro atende cerca de 1 mil pessoas vindas dos 21 municípios da macrorregião de Teixeira de Freias. Com o incremento, a expectativa é de 2 mil usuários ativos. “Foi com muita emoção que recebemos esta informação”, declarou o diretor.

Todo o cidadão atendido no CER 4 tem acesso à equipe multidisciplinar, que atua para promover a autonomia do indivíduo, promovendo sua reinserção nas rotinas de trabalho, familiar e as demais. Trata-se de um acompanhamento integral, em que o paciente tem acesso gratuito aos profissionais especialistas e também aos equipamentos, tais como: cadeiras de roda, bengalas, próteses e outros.

Por: Liberdadenews/Ascom


Brasil tem 9 casos suspeitos de coronavírus

O Ministério da Saúde (MS) informou, hoje (29), que existem nove casos considerados suspeitos de coronavírus no Brasil. São três casos em São

Sintomas, transmissão e tratamento: previna-se contra coronavírus

O novo vírus que surgiu na cidade de Wuhan, na China, em dezembro de 2019, já possui cerca de 6 mil pacientes infectados e mais de 130 mortos. Os

Sesab nega informação de caso suspeito de coronavírus na Bahia

A Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) negou a informação sobre a existência de um caso suspeito de infecção pelo coronavírus na Bahia. Na

Alemanha confirma primeiro caso de coronavírus dentro do país

Foi confirmado nesta terça-feira, 28, o primeiro caso de coronavírus na Alemanha. Desta vez, o paciente que não teria viajado para a

Coronavírus: Bahia aumenta alerta e fará mudanças em Aeroporto

Saiba tudo sobre a doença que surgiu na China A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) informou em nota nesta terça-feira (28) que

Câncer no pulmão: Ana Maria Braga revela estar com a doença

A apresentadora Ana Maria Braga, de 70 anos, comunicou que está em tratamento contra um terceiro câncer de pulmão. A declaração foi dada

China: Casos de infecção por novo coronavírus passam de 2.700

Mais de 80 pessoas morreram no país em decorrência da doença Autoridades de saúde da China informam que o número de pessoas diagnosticadas

Bahia teve 32,5 mil partos de adolescentes em 2019

Cerca de 32,5 mil adolescentes tiveram filhos na Bahia em 2019, o que corresponde a 17,04% dos nascidos vivos no estado durante o ano passado, de

Exame descarta morte de balconista por H1N1 em Eunápolis

Eunápolis: A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) descartou que o balconista Narciso da Silveira Costa Neto, de 27 anos, tenha

O que é a sepse, doença que mais mata no mundo

Segundo estudo assinado por 24 pesquisadores de universidades de seis países baseado em registros médicos de 195 nações, 11 milhões de pessoas

Nossos Apoiadores: